Raymond Aron e a Guerra Fria

Raymond Aron e a Guerra Fria

  • $16.00
  • Save $2
Tax included. Shipping calculated at checkout.


SOBRE O LIVRO


Em 1955, Raymond Aron publica o Ópio dos Intelectuais, um ensaio polémico e pedagógico que critica os intelectuais bem-pensantes de esquerda, fascinados pelo mito da revolução e pelo poder soviético, à frente dos quais está Jean-Paul Sartre, contemporâneo de Aron, que foi seu amigo na Ecole Normale Supérieure, antes da ruptura entre ambos no pós-guerra, por causa das suas divergências sobre a posição a tomar em relação ao comunismo e à União Soviética. O livro abre com duas citações, a clássica de Marx sobre o «ópio do povo», a segunda da sua amiga Simone Weil - «O marxismo é uma religião no sentido mais impuro da palavra. Partilha com todas as formas inferiores da vida religiosa o facto de ter sido continuamente usado, na palavra tão justa de Marx, como um ópio do povo». Aron refere-se a essa frase desde a sua crítica aos Entretiens de Jean-Paul Sartre et David Rousset, para dizer que a revolução já não era mais do que o "ópio dos intelectuais".


"Os homens fazem a sua própria história, mas não sabem que história estão a fazer." Karl Marx


SOBRE O AUTOR


Carlos Gaspar é investigador do Instituto Português de Relações Internacionais e professor associado convidado da Faculdade de Ciências Sociais e Humanas da Universidade Nova de Lisboa. Consultor da Casa Civil do Presidente Ramalho Eanes (1977-1985) e do Presidente Mário Soares (1986-1996), foi assessor político da Casa Civil do Presidente Jorge Sampaio (1996-2006). Director do Instituto Português de Relações Internacionais (2008-2011). É também assessor do Conselho de Administração da Fundação Oriente. Comentador de política internacional, colabora regularmente com o Público, TSF, Radio France Internationale, RTP, RDP e SIC. Publicou em 2017 o livro A Balança da Europa pela Alêtheia Editores.

Press Kit

Observador, 25/11/2018

Público, 25/11/2018

Prós e Contras, Ep. 36, 26/11/2018 (minuto 47)

Diário de Notícias, 25/11/2018

Jornal Económico, 27/11/2018

 

 


We Also Recommend